.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. RASTREIO AUDITIVO NEONATA...

. MIELOMA MÚLTIPO

. "A DOR MENTE"

. MAIS BENEFÍCIOS DO CAFÉ

. SEMANA DA INCONTINÊNCIA U...

. HIV E SIDA

. BOAS FESTAS

. SUGESTÕES DE TEMAS?

. HIPERPLASIA BENIGNA DA PR...

. ENDOMETRIOSE

.arquivos

. Junho 2012

. Janeiro 2012

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Domingo, 25 de Março de 2007

I AM SAM - A FORÇA DO AMOR

Sam Dawson é um pai diferente… Desde o primeiro dia, em que ficou com a pequena Lucy Diamond (nome escolhido devido a uma música dos Beatles) nos braços e viu a mãe desaparecer. É um pai diferente devido às inúmeras limitações que o perseguem. Além das dificuldades que podem suceder a qualquer pai que tenha de cuidar de uma criança sozinho, Sam apresenta deficiências mentais, tendo sido o seu QI avaliado como idêntico ao de uma criança de 7 anos. Sam é um pai meigo e atencioso, certamente mais infantil que os outros, mas também muito mais puro e sincero, e até aos 7 anos consegue criar a filha, a filha que tanto adora. Com uma visão diferente do mundo, transmite-o à filha, com todo o amor e carinho. Com a filha lê, brinca, conversa, sorri… e fá-la sorrir e acreditar nos seus sonhos.

 

“Nunca limites os teus sonhos, Lucy.”(Sam)

 

Porém, a justiça decide interpor-se e tirar-lhe a custódia da menina, por pensar que o pai não poderá acompanhar o progresso da filha, tornando-se prejudicial para ela.

Sam vai travar uma verdadeira luta em tribunal, com o apoio de Rita Harrison Williams, uma conceituada advogada que tem os seus próprios problemas: um marido que não aparece em casa e que a trai, um filho carente de afectos e revoltado com tudo e todos. Apesar do amor que o une a Lucy ser mais forte que qualquer conceito de justiça, a luta parece, a cada dia que passa, impossível já que se torna muito difícil para Sam testemunhar em tribunal, pois fica ansioso, irrequieto, instável…

 

“- Que exemplo quer seguir como pai da Lucy?(advogado)
- Eu próprio. Eu admiro-me como pai.”(Sam)

 

Os seus amigos, também eles portadores de deficiência, estão sempre a seu lado, incontornáveis no amor a Lucy.

Rita aprenderá imenso com Sam. Deixa de ver nele o “deficiente mental” que olhou no primeiro dia, passa a ver muito mais profundamente, e é aí que descobre um homem dotado de uma sensibilidade extraordinária para a compreender, tal como a todos os que o rodeiam. Sam vai mudar a sua vida para sempre.

“Receio que tenha sido eu quem mais beneficiou desta nossa relação.”
(Rita)

 

Perante o desespero do pai que começa a acreditar que o melhor para a filha é afastar-se dele e ter uma nova família, é Rita que vai ter força para lutar e convencê-lo a provar que não há força maior que a do amor. Lucy, por sua vez, espera sempre o dia em que possa voltar a estar com o pai e, por várias vezes, tenta fugir.

 

“Eu não quereria pai nenhum senão tu.” (Lucy)

No final, I am Sam é uma memorável lição de vida acerca da força dos laços de amor e de como eles podem quebrar todas as outras barreiras.

“Como podemos ser tão diferentes e sentirmo-nos tão parecidos?”(Sam)

publicado por Dreamfinder às 21:09

link do post | comentar | favorito

.links